Notícia (IN)útil

Um site em que você tem espaço e voz

Um dia de construção e desconstrução de cenário

leave a comment »

Olá mocinhos e mocinhas,

Estamos aqui pra assistir os atores em cena, certo? Não necessariamente.  Existe muito mais no entorno além própria cena.

Hoje, por exemplo (01/06/12), é o terceiro dia do Cenas Curtas e me vejo menos ligada aos acontecimentos externos, mas logo ao fim da primeira cena “Antes do fim”  me vejo fascinada pela agilidade e cooperativismo. A desconstrução da cena apresentada, um cenário com muita capim seco poltrona, banquinhos, ramos de capim mais elevados (à altura da cintura de alguns), um grande espelho com sua pompa de antigo, e isso tudo some das minhas vistas em menos de 2 minutos. Ao fim da cena cerca de quinze pessoas se unem em torno de um objetivo, LIMPAR O CENÁRIO para a próxima cena.

E não é só a desconstrução, mas também a nova construção, colam um extenso ‘tapete’ branco que é colado em suas junções, e colado também ao chão com uma fita. Acrescentam dois abajures, uma mesa, um aquário, um facão, duas luvas, um sino, duas poltronas vermelhas, uma caixa preta ao lado de uma das poltronas com o que me parece um taco de beisebol. E para tudo isso estar em cena, cerca de mais três minutos, talvez quatro, se eu tiver errado na minha contagem. Eu me surpreendi, em questão de pouquíssimos minutos fui transportada do sertão para uma luxuosa casa em outro estado. Pronto “Firmes destilados” está pronto para entrar em cena.

Quinze minutos depois aí estão eles novamente, vou chamá-los carinhosamente de ‘fazem-tudo’ e fazem tudo mesmo, desconstroem uma casa localizada na área nobre de alguma cidade em um local sombrio, e com poucos elementos em cena, para tal utilizam-se da luz, durante a cena. Então é a vez de “Trajetória ‘PL” entrar em cena. Um cubo preto no centro da cena. E a iluminação começa a dar conta de compor cenicamente o palco. Imaginei que finalmente tudo iria tranquilizar para os ‘fazem-tudo’.

Me enganei, vi novamente uma gama de ‘fazem-tudo’ entrarem em cena, retiram um cubo, colocam mesas, cadeiras, uma bancada que presumo de cara representar um bar, minha suposição é confirmada ao colocarem copos e garrafas de bebida sobra as mesas, sem se esquecerem do detalhe do forro das mesas. “Bar da esquina” está pronto para abrir as portas de ferro corrediças, comuns nesses espaços e já me transporto novamente para essa nova possibilidade.

Talvez eu tenha falado pouco sobre as cenas por hoje, mas acho que uma boa cena depende também desses ‘fazem-tudo’ que entram em cena e se colocam no lugar de seres invisíveis, cujo trabalho poucas vezes é reconhecido. Essa noite vocês foram vistos e acompanhados.

Written by Bruna Cris

05/06/2012 at 03:54

Palco Hip Hop no FAN 2012 esquenta BH

leave a comment »

Olá mocinhos e mocinhas,

O palco Hip Hop não é apenas um espetáculo de danças e músicas. É aprendizado também! Eles abriram uma oportunidade às escolas públicas de Belo Horizonte para saberem um pouco mais sobre a cultura do Hip Hop.

By Bruna Cris

As oficinas foram realizadas entre os dias 10 e 12 de maio. Com oficinas de dança, música e grafite as crianças da rede municipal de ensino aproveitaram ao máximo o que os oficineiros propunham. Elas, com muita atenção cumpriram com louvor tudo o que os oficineiros falavam. Dançavam, cantavam, desenhavam, tudo isso com um sorriso no rosto e com os olhos expressando o quão bom estava aquilo tudo!

Victor _ Organizador do projeto Palco Hip Hop_By Bruna Cris

Com opiniões simples e rápidas, as crianças falavam: “Foi Doido!” ou então “Eu achei que foi legal!” Os Workshops foram de dança de rua com Eduardo Sô e de graffite com Edimun.

MC Stefany_By Bruna Cris

As mulheres tiveram também seu espaço no Palco Hip Hop fazendo palestras para todo tipo de público. Abordaram vários temas, mas um em especial: “A situação da mulher no Hip Hop, a conquista do seu espaço, todas as suas vitórias…” Juntando o útil ao agradável, elas conseguiram fazer com que todos participassem e entendesse a mensagem que elas queriam passar.

By Bruna Cris

“O Palco Hip Hop é um evento que tem como característica valoriza a cultura de rua, e utilizar de algumas ações como:Debates,palestras e oficinas além de um show de encerramento.Am programaçao é diversificada e ontem participei de um debate que tinha como tema A moda e o Hip Hop e da minha atuação dentro da cultura através da minha linguagem que é a moda.Ali foi possível trokar referências e impressões e discutir também como o mercado tem se movimento com tudo que emana da cultura.A equipe que trabalho junto ao organizador Victor é bem afinada e organizada.É a segunda vez que participo dessa proposta e a minha opinião de um geral é que o hip hop ta muito bem representado”. – Lorena Lolotz

Eis que a programação do FAN ainda se estende até 03 de junho. E nós vamos ficar de olhos atentos e deixaremos vocês a par de tudo o que tiver rolando!

Até uma próxima meus amores e minhas amoras

ME DÁ SAPATO!

leave a comment »

Olá mocinhos e mocinhas,

Reconheço que minhas postagens aqui vem sendo um pouco mais escassa do que eu gostaria, mas sei que vocês entendem!🙂 Bem, depois de merecidas desculpas (representando o respeito que tenho por vocês) Vamos às boas notícias!

Bem, eu tenho uma amiga (Thais Coimbra) que me veio com um pedido muito especial… e eu o repasso a vocês… espero que façam a doação de vocês também!

“Gente! Como alguns sabem, eu participo de uma cena que chama Entre Portas e ela está crescendo pra virar uma peça. Logo, preciso da ajuda de vocês pra isso dar certo! É simples:

Sabe aquele sapato que você não usa mais por algum motivo? Então! Doe ele pra gente e traga junto o seu motivo.

Não importa o tipo de sapato, se é social, tênis, sandália, bota, chinelo… Esperamos a ajuda de todos!”

Caso queiram fazer a doação, me avisem, ou entrem em contato diretamente com ela (através do Twitter acima mencionado)!

Vamos às doações meus amores!

Written by Bruna Cris

28/07/2011 at 16:42

MEIO SÉCULO E AINDA ATREVIDO

with 2 comments

Ola mocinhos e mocinhas,

venho hoje falar-lhes de um super encontro que tive com um cantor irreverente, compositor único, músico com uma ideologia fortíssima… este é  João Luiz Woerdenbag Filho, mais conhecido como Lobão!

No ultimo dia 10 de junho, Lobão veio à BH para lançar o livro “50 anos a mil” uma autobiografia escrita por ele em co-autoria ao jornalista Cláudio Júlio Tognolli. Além do lançamento Lobão tinha um encontro marcado com os fãs de seu rock autêntico no BH Music Station no dia 11 de junho!

Durante a palestra rica em histórias e fatos que marcaram a vida do cantor, Lobão discute política, cenário musical, legalização das drogas, e claro, desnuda sua carreira, da forma mais irreverente possível!

Espero que tenham gostado…

Em breve tem mais entrevistas! big beijo meus amores.

Written by Bruna Cris

22/06/2011 at 14:33

“A CIDADE PASSA A SER UM PARQUE DE DIVERSÕES”

leave a comment »

Olá mocinhos e mocinhas,

Parafraseio Lissandra (pessoinha que conheci ao fazer a oficina) pois não encontrei expressão melhor para resumir as novas oportunidades que a experiência nos ofereceu.

Para os desavisados, na última semana participei de uma oficina de Parkour (que aconteceu de quinta  a domingo).  Segundo o wikipédia, “Parkour (por vezes abreviado como PK) ou l’art du déplacement (em português: arte do deslocamento) é uma atividade cujo princípio é mover-se de um ponto a outro o mais rápido e eficientemente possível, usando principalmente as habilidades do corpo humano. Criado para ajudar a superar obstáculos de qualquer natureza no ambiente circundante — desde galhos e pedras até grades e paredes de concreto — e pode ser praticado em áreas rurais e urbanas. Homens que praticam parkour são reconhecidos como traceur e mulheres como traceuses.”

Eis o que recebi depois de 4 dias de prática e aprendizado das técnica dessa nova modalidade:

Dores musculares em parte do meu corpo que eu nem sabia que possuo, Luxação e marcas (vermelhas ou roxas… quase um carnaval) mal reconheço a minha raça – dita por muitos parda, uma diminuída da minha velocidade em pelo menos metade… Mas nem só de choro foi esse tirocínio: Descobri que meu corpo pode ir além dos limites impostos pela minha mente, técnicas de sustentação sem muita força, aprimorar o olhar para as estruturas apresentadas pelo ambiente que nos cerca (seja urbano ou rural).

Além de toda essa prática, o que mais me impressionou é que em tão pouco tempo, Bruno Peixoto nos passou também muita teoria e exemplos de bonissimo gosto. Entre os espaços, Bruno nos contou um pouco da história da prática e indicou alguns vídeos interessantes e até inusitados como o documentário Jump London que é dividido em 5 partes.

As parte 3, parte 4 e parte 5 vou apenas indicar os link’s, pois ficaria um post muito pesado para ser visto em alguns minutos que dispensam em atenção a este humilde blog.

Informações a parte, acho que falar sobre essa nova modalidade cabe a outro post…

Gostaria que quem já teve contato com o PK (parkour) dissesse-nos como é tal experiência. Aguardo-os nos comentários meus amores.

Written by Bruna Cris

11/04/2011 at 19:32

EN CENA – ROUGE

leave a comment »

Olá mocinhos e mocinhas,

Um convite mais que especial:

 A Escola de Fotografia Sesiminas & Studio3 convidam para a Exposição Fotografica ROUGE (A I Mostra Fotográfica dos Alunos do Módulo II . 2011)

Os aspirantes a profissionais do campo da fotografia, hoje um meio tão comumente confundido com o amadorismo, já que muitos discutem a simples prática de comprar uma camêra (com preços cada vez mais acessiveis e manuais cada vez mais didáticos) que vem aprendendo e mais que isso apreendendo mais sobre a arte de compor ou desenhar com a luz de forma cada vez mais mágica, tentando despertar o incrível na imaginação dos “leitores” de suas imagens apresentam a primeira parte de seu percurso teorico/prático

Fotógrafos: Alice Okawara, Aline Souza, Bruna Cris, Marcelino Duarte, Edilaine Leite, Fabiano Almada, Fernando Soares, Gilberto Lima, Guilherme Schuab, Leonardo Zacarias, Marcia Zanon, Tania Mara Souza, Willian Fumaça, Brendo Paulo, Elisa Barros, Jota Lucas, Josélio Teixeira, Katia Coimbra, Kely Aguiar, Margareth Maffort, Mariana Camargos, Renato Cata Preta, Salvio Castro, Samantha Campos, Wallisson Queiroz.

Período: de 05 a 25 de Abril
Local: Centro de Cultura Nansen Araujo (Rua Alvares Maciel . 59 – Santa Efigênia . Bh . MG)

Horário:
2ª a 6ª . de 9:00 h às 21:00 horas
Sábados . de 9:00 h às 13:00 horas

 Aguardo cada um de vocês lá e espero o retorno aqui depois.

Beijinhos meus amores.

O PAPEL DO FOTÓGRAFO parte 2

with one comment

Olá mocinhos e mocinhas,

Hoje venho retomar um discussão que já passou por aqui (Uma imagem premiada de Kevin Carter que o levou ao suicídio – post escrito por Letícia Silva) e que foi retomada ao me deparar com um video eletrizante com uma discussão semelhante ao último post.

E um documentário “Abaixando a Máquina” que uma amiga (Kely Aguiar) enviou-me. Dividido em cinco partes:

Parte 3 , parte 4 , parte 5 .

Eis que a pergunta novamente é feita: Qual o papel do Fotógrafo?

Devemos nos ater a  clicar apenas? Pensar no profissional e nos “maquinizarmos”? Será que ser profissional e deixar de ser humano (entendam essa pergunta para todas as áreas de trabalho)?

Eis que espero incitá-los a discussão aqui, e reflexão sempre!

Criticar para crescer.

Beijinhos meus amores!

Written by Bruna Cris

29/03/2011 at 15:01

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.